Menu fechado

NOTA DE SOLIDADARIEDADE À VEREADORA DUDA SALABERT E DE REPÚDIO AO VEREADOR WESLEY AUTOESCOLA

NOTA OFICIAL DA ALIANÇA NACIONAL LGBTI+

O ano é novo, as esperanças estão renovadas, as energias para lutar por uma nação mais justa e igualitária também foram recarregadas. Porém, velhos algozes permanecem estagnados nos mesmos hábitos ignóbeis.

Mesmo que sob as luzes deste novo ano, nossa democracia ainda tão jovem permanece sob ataque destes que não conseguiram compreender ainda que o respeito ao ser humano de forma integral e a cidadania é o exercício a ser feito de forma contínua, comprovando o real compromisso com as leis da República.

A vereadora Duda Salabert (PDT-MG) fora vítima de ato transfóbico durante a cerimônia de posse de seu primeiro mandato para a Câmara Municipal de Belo Horizonte. Duda, que fora eleita com mais de 30 mil votos na capital mineira, teve sua identidade de gênero desrespeitada pelo vereador Wesley Autoescola (PROS), que durante seu discurso não reconheceu Duda como mulher.

Duda Salabert diz que pretende dar chance após episódio de transfobia na CMBH | O TEMPO

Além de afirmar que Duda não foi a Mulher mais votada da História de Belo Horizonte, o vereador em questão fez uso de seu discurso durante votação para a presidência da casa para enfatizar que ao reconduzirem a vereadora Nely Aquino (PODEMOS), à presidência da Câmara Municipal, estariam assim, conduzindo uma mulher ao cargo, dando a entender que a outra chapa, composta por Duda, seria de gênero diferente.

Fazendo uso de tom jocoso e irônico em sua fala, o vereador Wesley Moreira de Pinho (Wesley Autoescola – PROS), afirma que não pretende respeitar o gênero de Duda, e que não teria medo de responder por um possível crime de transfobia, e caso ocorra, Duda poderia responder por cristofobia (crime inexistente diga-se de passagem).

Ao que parece, o vereador demonstra despreparo para o convívio democrático, desconhecimento das leis que regem a República Brasileira, além de parecer também confundir o mandato legislativo com o fato de ser membro de uma igreja evangélica, ao tentar colocar seus preceitos de fé acima da lei.

Vale salientar que atualmente no Brasil, graças à atuação coerente e precisa da mais alta corte de Justiça do país, o Supremo tribunal Federal – STF, a LGBTIfobia é reconhecida como crime, equiparado aos crimes de racismo, crimes estes inafiançáveis e imprescritíveis.

O respeito a toda amplitude da diversidade sexual é um direito garantido por lei, e deve ser tomado como base por todos aqueles que defendem o Estado democrático de direito e a dignidade da pessoa humana. Não cumprir tais preceitos, é tornar-se cumplice das milhares de mortes de LGBTIs, principalmente da população T, haja visto que o Brasil é considerado hoje o país que mais mata Travestis e Transexuais no mundo!

É inimaginável crer, que em meio a uma pandemia grave como a que vivemos, um parlamentar se preocupe em manter uma conduta horrenda como esta, ao invés de se preocupar com a realidade triste que vivemos, cujo enfrentamento precisa de união e comprometimento.

Neste ínterim, a Aliança Nacional LGBTI+ manifesta antes de tudo sua solidariedade à Vereadora Duda Salabert (PDT – MG) ante a este triste fato, e coloca-se à disposição para prestar todo o suporte que se faça necessário para enfrentar este momento. Neste passo, manifesta-se também repúdio a atitude do vereador Wesley (PROS), colocando-se prontamente também à disposição do mesmo para que possa conhecer um pouco mais sobre a diversidade, tendo assim a chance de mudança de sua postura reprovável, que caso seja mantida nos obrigará a evocar a justiça.

Onde ameaçarem nossa existência seremos sempre resistência!

04 de janeiro de 2021

Toni Reis
Diretor Presidente da Aliança Nacional LGBTI+

Pr. Gregory Rodrigues Roque de Souza
Coordenador Estadual da Aliança Nacional LGBTI+ em MG
Coordenador Nacional de Notas e Moções da Aliança Nacional LGBTI+

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *