Menu fechado

NOTA DA ALIANÇA NACIONAL CORONAVÍRUS, PREVENÇÃO, DIREITOS E MEDIDAS SOCIAIS

NOTA OFICIAL
NOTA DA ALIANÇA NACIONAL
CORONAVÍRUS, PREVENÇÃO, DIREITOS E MEDIDAS SOCIAIS

Vamos precisar de todo mundo nesse momento difícil para o Brasil!

A Aliança Nacional LGBTI vem por meio desta nota agradecer a toda comunidade científica, profissionais da saúde e da vigilância sanitária pelos esforços empreendidos e dedicação heroica na produção de informações corretas sobre o Coronavírus e a medidas de prevenção para a não propagação, na pesquisa para medicamentos, vacinas e outros meios que possam reduzir o impacto da contaminação e/ou para reduzir os danos da doença nas pessoas e também no atendimento e tratamento das pessoas com Coronavírus / Covid-19. O Sistema Único de Saúde precisa ser defendido e apoiado com recursos financeiros. Somente com a Ciência e o Sistema Único de Saúde reconhecidos e apoiados é que teremos condições de enfrentar essa pandemia.

A Aliança Nacional LGBTI+ também cumprimenta parte dos órgãos de imprensa pela cobertura séria, competente e cuidadosa que vêm fazendo sobre a pandemia do Coronavírus em nosso país e no mundo. Só foi possível a chegada da informação a várias partes do Brasil sobre o vírus e suas consequências em razão trabalho sério de construção de conteúdos jornalísticos e de uma programação regular e cotidiana sobre o vírus, dados de infecção, medidas de prevenção, sempre dialogando com pesquisadores e profissionais da saúde.

Hoje (24/03/2020, 13h) são 1960 casos de pessoas infectadas no Brasil pelo coronavírus e as projeções para os próximos dias são muito preocupantes, que requer de todxs nós brasileirxs, respeito às orientações das autoridades sanitárias e de epidemiologistas, que instruem a todas as pessoas que puderem, que fiquem em casa, pois essa medida contribui significativamente para a diminuição da propagação do vírus. Assim, a Aliança Nacional LGBTI+ orienta a população brasileira de lésbicas, gays, travestis, mulheres transexuais, homens trans e pessoas intersexuais e pessoas não-binárias, entre outras expressões de gênero e orientação sexual, bem como, as pessoas vivendo com HIV/aids, a seguir as orientações sanitárias de permanecerem em casa e de tomar as medidas básicas de prevenção à infecção pelo Coronavírus.

No entanto, é fundamental que o Governo Federal e o Congresso Nacional estabeleçam medidas que garantam estrutura efetiva para atendimentos de pessoas infectadas pelo vírus em todos os Estados Brasileiros; e promovam medidas sociais que garantam a segurança alimentar e protejam a renda e o emprego das pessoas mais pobres e em situação de vulnerabilidade, moradoras de comunidades, favelas e também de outras estruturas de moradia extremamente precárias.

Estudiosos apontam que as populações mais pobres poderão ser muito atingidas pela pandemia em razão de todas as mazelas e falta de estrutura, que às vezes sequer é possível seguir todas as orientações de prevenção, como garantir um banheiro e um quarto para um familiar que esteja infectado e que a população LGBTI+ do Brasil, tomando por base os dados da PNAD do IBGE, está distribuída por todas as classes econômicas, e assim a maior parte desse segmento vive em situação de pobreza ou extrema vulnerabilidade social e econômica. O que já nos preocupava antes: as violências, discriminações, negações de direitos e a situação de pobreza da população LGBTI, especialmente pessoas trans e não-binárias, a pandemia do coronavírus trouxe mais outro problema: a sobrevivência econômica deste segmento populacional, já que a sua maioria vivenciam situação de trabalho precário, trabalho informal e ou não tem trabalho algum, fazendo bico em diversas áreas ou trabalho sexual. Portanto, a propagação da epidemia no Brasil só será reduzida se houver especial atenção às populações em situação de vulnerabilidade, com medidas sociais que protejam o emprego, o trabalho, a renda das pessoas e os direitos.

Emitiremos novos comunicados sobre medidas de prevenção e estratégias de articulações regionais visando disseminar mais informações e mobilizar a nossa rede.

“A imaginação é a metade da doença;
a tranquilidade é a metade do remédio;
e a paciência é o começo da cura”.

  • Ibn Sina (Avicena) (980-1037)

Curitiba, 24 de Março de 2020.

Toni Reis
Diretor-Presidente da Aliança Nacional LGBTI+

Cláudio Nascimento
Diretor de Políticas Públicas da Aliança Nacional LGBTI+

Augusto Menna Barreto
Coordenador da Área de HIV/Aids da Aliança Nacional LGBTI+

#

Sobre a Aliança Nacional LGBTI+ – A Aliança Nacional LGBTI+ é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos, com representação em cada uma das 27 Unidades da Federação e representações em mais de 150 municípios brasileiros. Trabalha com a promoção e defesa dos direitos humanos e da cidadania da comunidade brasileira de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e intersexuais (LGBTI+) através de parcerias com pessoas físicas e jurídicas. A Aliança é pluripartidária e atualmente tem em torno de 970 pessoas físicas afiliadas. Destas, 47% são afiliadas a partidos políticos, com representação de 27 dos 33 partidos atualmente existentes no Brasil. http://aliancalgbti.org.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *